Construção do Futuro

Artigo

As relações institucionais e governamentais são defendidas pelo movimento lojista como vitais para gerar o avanço do varejo e impactar a economia positivamente.

Seguindo esse eixo, a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) promoveu nesta terça e quarta-feira o IV Fórum Nacional do Comércio, em Brasília, reunindo lojistas de todo o País, autoridades do Legislativo e do Executivo nacional, técnicos, nomes do terceiro setor.

Eu fui ao IV Fórum na condição de presidente da Federação das CDLs do Estado do Rio (FCDL-RJ) e fiquei impressionado com o ambiente extremamente produtivo.

O encontro girou em torno de uma pauta muito rica, abordando macroeconomia, reformas, com ênfase para a Tributária, integração do Poder Público e da iniciativa privada, entre outros temas.

A iniciativa privada, os agentes produtivos, os empregadores, têm muito o que contribuir e precisam ser ouvidos pelas esferas de poder na definição das políticas públicas.

Os gestores em seus gabinetes em Brasília, nas capitais, nas cidades, têm que se aproximar dos empregadores, dos trabalhadores, da realidade vivenciada pelo cidadão comum nas ruas.

O lojista que abre a sua loja, todos os dias, desafiando impostos abusivos, instabilidade política, sistema financeiro de juros desenfreados, tem que matar mil leões todos os dias para abrir as portas de seu estabelecimento, manter e gerar empregos.

Ficou claro no IV Fórum que o caminho é o de amplificação da participação da sociedade civil na apresentação de demandas, na formulação de propostas e soluções, auxiliando, como quem olha de fora, critica e construtivamente, a tomada de decisão dos agentes públicos.

Essa linha de interação e diálogo entre entidades do setor produtivo, a iniciativa privada, os Poderes Públicos, foi explicitada no fórum, que foi aberto pelo Ministro da Fazenda, Paulo Guedes. O encontro contou ainda com a presença do Ministro Sérgio Moro, que falou do plano nacional de segurança pública.

No IV Fórum o secretário especial da Previdência Social, Rogério Marinho, anunciou medidas para dinamizar o mercado de trabalho até o fim de outubro, com ações sobre empregabilidade, requalificação profissional e microcrédito.

Cumprimento o presidente da CNDL, José César da Costa, pelo êxito alcançado com o *IV Fórum*, que lança, no presente, sementes para a construção de um futuro de relações de transformação, tanto para o desenvolvimento do comércio, que emprega milhões de brasileiros, como para a recuperação da economia.

 

Marcelo Mérida

Presidente da Federação das CDLS do Estado do Rio